Pensamento e fé

As pessoas desconhecem o poder que carregam dentro de si. A usina da mente, que irradia sua energia através do comando do espírito, ainda é motivo de muitos estudos para todos nós.

Vários livros têm sido escritos sobre o assunto, muitos deles se tornando best-sellers mundiais. “A Força do Pensamento Positivo” do Dr. Joseph Murphy, “O Segredo” e muitos outros. As obras de André Luiz, pela psicografia de Chico Xavier, são altamente esclarecedoras.

Diz Miramez, espírito, no livro” A Força do Pensamento”, que o pensamento é como uma fonte de água que, nascendo pura e cristalina, serve a muitos, mas, deixando-se contaminar, terá sua serventia comprometida. O pensamento, diz ele, deve ser a fonte da vida e sua qualidade determinará a qualidade dessa vida. O pensamento em direção ao bem emana amor, em direção à luz emana iluminação para o aprendizado.

Em “O Evangelho segundo o Espiritismo”, no capítulo XIX, observamos Kardec, com sua capacidade, comentando que considera-se a fé a confiança que se deposita na realização de determinada coisa, a certeza de atingir um objetivo. Nesse caso, ela confere uma espécie de lucidez, que faz antever pelo pensamento os fins que se têm em vista e os meios de atingi-los, de maneira que aquele que a possui avança, por assim dizer, infalivelmente. Num e noutro caso, ela pode fazer que se realizem grandes coisas.

Pensamento positivo, portanto, e fé, poderíamos dizer que caminham juntos. Disse Jesus que se tivéssemos a fé do tamanho de um grão de mostarda poderíamos dizer a um monte: passa daqui para ali e isso sucederia, compreendendo simbolicamente o monte como sendo nossas dificuldades.

Precisamos aumentar a força do nosso pensamento positivo e nossa fé, na certeza de que todas as dificuldades são passageiras. Tudo passa, as dores passam, mas quanto aprendizado se consegue com elas!

As pessoas estão vivenciando profundas dores e as lágrimas correm abundantes de polo a polo do planeta. Necessário muita fé e confiança em Deus. Vigiar, orar e caminhar paz.

Há os que descobrem lindamente essa força interior que a maioria desconhece. Conversando com uma jovem, estudiosa da mente e adepta de meditações, voluntária do bem, por amor ao bem, sem uma religião definida, essa nos contou um fato muito interessante.

Ela foi morar num sítio, numa casa que não era habitada por ninguém havia mais de trinta anos. Quando entrou lá, sentiu uma energia muito pesada, densa, que quase a asfixiava lá dentro. Isso a incomodou demais. A casa foi limpa, arejada, mas a energia era difícil. Ela então, orou, solicitando ajuda e ouviu uma voz em sua mente dizendo-lhe que todo o poder que ela necessitava estava nela mesma, em seu interior. Sentiu-se debruçar sobre si mesma em prece, tentando verificar aquilo. Viu uma luz azul, como a chama de uma vela, surgindo ante seus olhos. Escutou uma voz interior a dizer: eu sou a luz que repele toda a energia densa. Começou a repetir aquilo em voz alta, várias e várias vezes. Subitamente, uma grande explosão se fez ali, ouvida por ela. Depois disso, tudo se amenizou, aquela energia dolorosa desapareceu.

A partir dessa experiência, contou-nos ela, descobriu o imenso poder que existe em nós mesmos e que as pessoas desconhecem. Isso a muniu de uma profunda fé.

Essa jovem começou a perceber que conseguia fazer desdobramento. Notou isso, um dia, quando acordou assustada, percebendo um corpo sobre o seu próprio corpo, na cama onde dormia. Que é isso, perguntou a si mesma, um corpo sobre mim? E o tocou. Sentiu o toque em seu próprio corpo e viu então que aquele corpo sobre o dela era ela mesma.

Desenvolveu isso de modo consciente. Quis saber de onde teria vindo aquela energia densa na casa, e saiu procurando, enquanto o corpo dormia. Encontrou-se com o espírito de uma jovem. Não conseguia mais entrar na casa, mas estava lá fora, presente. Descobriu que ela tinha morado ali, na última encarnação. Foi uma filha rejeitada pelo pai, o senhor do sítio, que não a reconheceu como filha. Ficou morando ali e, ao desencarnar, continuou lá. Fizeram uma reunião mediúnica, na fazenda mesmo, com um médium de psicofonia, amigo seu, medida que não recomendamos, porque lugar de reunião mediúnica, a nosso ver, a menos que em emergência para o bem, deve ser o centro espírita.

Com a reunião, o espírito da jovem foi socorrido, retirou-se e tudo ficou em paz no local.

A moça que nos narrou o fato não é espírita, mas essa história contada é digna de livros que narram fatos estudados pelo Espiritismo.

A fé e o pensamento positivo são capazes de grandes coisas. A jovem a que nos referimos desenvolveu a tranquilidade e a paz depois dessa experiência, mas continua a buscar o desenvolvimento de si mesma, melhorar-se no seu interior, em um processo de autodescobrimento e meditação. Já chegou, no entanto, a m ponto que ainda falta a muitos de nós.

A espiritualidade maior nos tem pedido sempre nossa autoavaliação para que nos melhoremos. Precisamos disso para o nosso crescimento espiritual.

O momento difícil de muitos pede o fortalecimento do pensamento no bem e o crescimento da fé, de modo que a casa, na hora da tempestade, esteja assentada sobre a rocha.

Essa moça cuja história comentamos conseguiu isso. Que o conhecimento espírita, que é uma dádiva divina, amplie a fé de todos nós. Dias melhores hão de vir.



Comentário

0 Comentários