Animais de estimação na infância

Toda aprendizagem tem uma base emocional. Platão


Cães, gatos, coelho, porquinho-da-índia, cavalo… As crianças, em geral, adoram bichos e querem brincar com eles, levá-los para casa. O convívio na infância com animais domésticos não provoca apenas diversão, alegria, mas também proporciona outros benefícios relacionados a um desenvolvimento mais dinâmico e integral.

A criança considera o animal de estimação como um verdadeiro amigo, um cúmplice de aventuras e descobertas. Por causa dessa interação positiva, dessa proximidade amorosa, sensibilidade, companheirismo e sociabilidade são fortalecidos. Um cachorro ensina sobre a vida, é fonte de felicidade e até mesmo da inevitável lição da dor da perda quando o bichinho morre.

Na casa em que uma criança constrói vínculo com um gato ou um coelho, ela tem a chance de treinar empatia, paciência, senso de responsabilidade. Além disso, as crianças que crescem em um lar com animais de estimação se tornam adultos mais competentes do ponto de vista da inteligência emocional do que aqueles que não passaram por essa experiência na infância.

Existe hora certa? Há idade adequada para uma criança ter o primeiro animal de estimação?

Ainda que não haja consenso entre quem entende da questão, todo mundo concorda que, independentemente da idade da criança, a supervisão dos pais ou de um adulto é fundamental. De todos os modos, a criança que tem a oportunidade de conviver com animais de estimação, de criar laço com um bichinho, cresce muito mais feliz.

Notinha

Entre outros benefícios, é sabido que a convivência com os animais de estimação favorece o sistema imunitário das crianças.



Comentário

0 Comentários