Amor ao próximo!

Olá, galerinha amiga, eu sou Turco.
Essa é minha irmãzinha Lilica.
Essa é minha prima Teca e
Esse, meu primo Telo.

SOMOS O QUARTETO DO BEM!!!!

Eu, Turco, irei contar para vocês algumas de nossas aventuras. Vamos lá.

Era meu aniversário!!! Ah, como gosto de fazer aniversário, pelos presentes, sim, eu gosto de ganhar presentes, mas também gosto muito de dar presentes. Presentes deixam as pessoas felizes!

Bom, ainda estamos vivendo a pandemia do Covid-19, né, e, novamente, este ano, não pudemos fazer uma festinha no dia do meu aniversário. Então, mamãe Gina e papai Guto organizaram, junto com tia Ana e tio Jonas, uma viagem para a Serra da Canastra. É um lugar cheio de muitas, mas muitas matas, montanhas enormes e aventuras muito legais.

Fiquei muito feliz, afinal, vamos passar meu aniversário em família e, de verdade, mais do que ganhar presentes, gosto muito de passar este dia especial com a minha família.

Dia da viagem! Telo e Teca foram no mesmo carro que eu, Lilica, mamãe Gina e papai Guto.

O caminho até a pousada em que iríamos nos hospedar era muito bonito. A aventura já começou na ida.

Para chegar até a pousada, tínhamos que descer, descer e descer muito uma estrada de terra que mais parecia uma montanha russa de tanta curva e obstáculos.

Mamãe Gina, que não é nada aventureira, já começou a apavorar, kkkkkk.

- “Guto, cuidado, meu Deus, cuidado...”. Mamãe repetia essa fala sem parar e nós, uhulllll, só diversão!

Chegamos.

Pousada simples e muito gostosa. Tinha cavalos, vaquinhas, rede para balançar, varanda, um gramadão e muita coisa para fazer e se divertir.

Logo após, chegaram tia Ana, tio Jonas, vovó Rê e tio Paulinho. Que alegria! Família reunida!

Jantamos! Eita comidinha boa! Achei legal a comida em cima de um fogão à lenha, além de bonito, sempre quentinha. A comida mineira é das melhores! Os doces, então, hummm, que delícia, bom demais!

Na manhã seguinte, após um café reforçado, iniciamos uma gostosa caminhada pela mata.

Eram tantas montanhas altas, mais altas do que as que temos perto de nossa casa e olhem que onde moramos as montanhas são bem grandes.

Tudo corria muito bem.

Íamos a passos tranquilos e muito alegres, prestando atenção em todos os detalhes, até que...

Surgiu no meio do caminho uma ponte!

Embaixo havia um riacho cheio de pedras e a ponte era bamba e muito alta. Ahhhhhhhh... mamãe Gina apavorou!

Passamos, quase todos, na ponte.

Ficaram para trás, mamãe Gina, tia Ana e papai Guto.

Papai Guto ficou para ajudar mamãe e tia Ana ficou para dar um incentivo.

O espetáculo começou.

Mamãe travou no meio da ponte, não ia e nem vinha. Entrou em desespero. Gritava, pedia socorro.

Deus do céu! Não entendíamos o porquê de tanto pavor.

Confesso, eu, Lilica, Teca e Telo rimos muito.

Mamãe Gina ficou tanto tempo presa no meio da ponte que a graça até acabou.

Enquanto papai Guto, cheio de calma, e tia Ana, toda atenciosa, ajudavam mamãe Gina a atravessar a ponte, percebemos o temor que ela estava. Ficamos com pena e nos arrependemos de ter rido de seu desespero.

Ao ver que estávamos quietos, vovó Rê chegou até nós e disse:

- Crianças, o que às vezes é fácil para uns pode não ser para outros. Apesar de sermos iguais perante Deus, nosso Pai, somos diferentes. E respeitar as diferenças também é uma forma de amor.

Quando mamãe Gina terminou de atravessar a ponte, vimos que ela até tinha chorado de tanto medo.

Pedimos desculpas e a abraçamos.

Papai Guto, vendo nosso arrependimento, nos ensinou que a Terra é escola e nós somos seus aprendizes. Podemos errar, pois ainda estamos aprendendo a fazer o que é certo, mas, o importante não é o erro e sim compreendermos quando erramos e buscarmos fazer diferente. Falou também que, por causa de nosso nível  evolutivo, ainda utilizamos mais o processo de erro e aprendizagem do que o acerto direto, por sermos muito resistentes à mudança interior. Nossa, isso dá o que pensar...

Tia Ana disse que se arrepender também é uma forma de amor e buscar consertar o erro é a maior e melhor forma de aprendermos a ser pessoas melhores!

Refletimos...

Mamãe beijou-nos e nos abraçou, com muito carinho. Foi um momento especial!


Lição de hoje: o erro faz parte do processo de evolução espiritual; arrepender e buscar consertar o erro é uma forma de amor![1]

Até a próxima, galerinha!

 

Assista esta animada historinha pelo link https://youtu.be/3TSngIXAP8k e não se esqueça, compartilhe com seus amiguinhos e amiguinhas!!


[1] FRANCO, Divaldo Pereira. Triunfo Pessoal. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. 8. ed. Salvador: LEAL, 2014. cap. 10.



Comentário

0 Comentários